' tickercontent[1]='18:06 - Polícia dos EUA prende ‘Coringa’ que ameaçava atacar seu local de trabalho' tickercontent[2]='15:16 - Em bilhete, suspeito de matar mulher diz que traição motivaria ‘tragédia’' tickercontent[3]='16:53 - CJ Tronic em Breve com Filial em Timon' tickercontent[4]='09:42 - HOJE: estréia da quinta de dentro' tickercontent[5]='08:45 - Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 33 milhões'
Plantão Hoje:

Notícias Relacionadas à ‘Secretaria de Saúde do Estado do Maranhão’

Roseana Sarney e A Família Problemática

Basta analisar os últimos noticiários relacionados à sucessão estadual no Maranhão que você vai ver que a família da governadora Roseana Sarney é tão problemática e tão enrolada quanto ela própria, o que tem tornado as coisas cada vez mais complicadas e, diria até, desesperadoras para a turma do Sarney.

O Casal-Problema

(a imagem acima mostra a reportagem da revista veja com denúncias contra Roseana e seu marido Jorge Murad)

Tem muita coisa feia, mas cito um dos episódios mais emblemáticos que começou a ‘expor as feridas’ e as trapaças da famíglia Sarney, para o país, estourou em 2002, quando Roseana quis ser candidata a presidente da República. Não demorou e a ‘casa caiu’. A Policia Federal descobriu uma sala no escritório da empresa de Roseana e do seu marido, cheia de dinheiro supeitos. A Polícia e a imprensa fizeram a sua parte e com isso o Brasil não correu o risco de ter a praga do Maranhão alastrada pelo resto do país.

O Pai-Problema

O noticiário nacional (a até, internacional) tem dado uma treguazinha para o ‘pai-problema’ da governadora, o presidente do Senado José Sarney. As graves-gravíssimas denúncias de corrupção envolvendo o pai-problema só não tiveram o resultado que a população esperava (que era a renúncia ou a cassação de Sarney) por causa da fortíssima proteção e do cinismo nas defesas que o presidente Lula lhe fez, aproveitando sua popularidade para defender aquele a quem ele sempre chamou de “o maior ladrão do Brasil” e agora diz que “ele não é uma pessoa comum”. (argh!!)

O Irmão-Problema

(Fernando Sarney, o irmão-problemático, cantando com sua irmão Roseana)

Família problemática é o diabo! Se a governadora Roseana achava que a imprensa e, principalmente, a Polícia ia deixar de mão as traquinagens da sua trupe, se enganou. Lá veio outra bomba: a Federal descobriu uma fortuna de milhões de dólares que seu ‘irmão-problema’ teria mandado ilegalmente para fora do país. E de lá pra cá, quaaaase Toda semana a Polícia Federal descobre mais uma maracutaia do seu irmão Fernando Sarney, que é o principal administrador dos negócios da ‘famiglia’.o irmão-problemático foi denunciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro, corrupção e vários outros crimes.

O Cunhado-Problema


(Deputado estadual Ricardo Murad, o cunhado-problema)

Como se não bastassem o pai e o irmão, o marido, ou seja os ‘de casa’, a governadora ainda tem que agüentar uma ‘mala’ trazida pelo esposo. É o deputado estadual Ricardo Murad. Es-se é pro-ble-má-tico!

Cansado de esbravejar e ‘soltar os cachorros’ na famíglia Sarney (ele foi do PDT e PSB !!!), Murad se rebelou, deu um ‘balão’ na oposição e se tornou o pupilo da sarneysada.

Mas como todo bom sociopata o cunhado-problema, que era secretário de Saúde e que já tava mandando mais do que a governadora, deixou a Secretaria para voltar à Assembléia Legislativa, mas queria continuar mandando no seu substituto. Como não conseguiu, ele resolveu que queria voltar ao cargo. Tarde demais!! Ele não contava com o capricho da filha de Roseana (Rafaela), que só pirraça, exigiu que a mãe não permitisse a volta do tio e mantivesse na Secretaria, o tio do seu marido.

Os Partidos-Problemas

E os problemas não param por aí. É o pai, o irmão, o marido, o cunhado e também os partidos.

Primeiro foi PP, do deputado federal Waldir Maranhão, a se queixar do tratamento recebido, que está na iminência de romper reclamando desprestígio no Governo.

Depois vieram as reclamações e as pressões do PRTB, do deputado estadual Lourival Mendes que pelo mesmo motivo do PP, ameaça romper e lançar candidatura própria ao Governo do Estado. O pré-candidato seria o médico João Bentivi.

E agora, o pior deles, o DEM comandado no estado pelo deputado federal Clóvis Fecury. O partido deve romper com Roseana por determinação da direção nacional (que já dissolveu todos os diretórios do partido no Maranhão). A justificativa é que o DEM é o principal aliado do PSDB, que tem José Serra como candidato a presidente da República e o PMDB ( de Roseana) apoiará Dilma, do PT. O presidente nacional da sigla, deputado federal Rodrigo Maia(RJ) já comunicou que o partido apóia o PSDB.

Estes fatos concorrem para uma desestruturação do Governo do Estado, provocando um verdadeiro sangangu nas hostes palacianas.

Enquanto Isso, Na Oposição…


(na foto acima a reunião entre todas as lideranças PSDB e PDT, onde selam acordo para apoiar Jackson Lago ao Governo do Estado)

(a foto acima mostra o deputado Rubens Júnior/PCdoB, Silvio Bembem/PT, o presidente da Assemnbléia Legislativa-MA deputado Marcelo Tavares/PSB, Teresinha Fernandes/PT, o vice-presidente estadual do PT Lobato, e os pré-candidatos ao senado Bira do Pindaré e José Reinaldo declarando apoio à pré-candidatura do deputado federal Flávio Dino ao Governo do Maranhão).

E pra desespero ainda maior da turma de Roseana, a oposição, aos poucos vai se organizando e pavimentando com solidez seu caminho rumo à mais uma inevitável vitória.

E isso não é (só) ‘vontade’ deste blogueiro, é ‘lucidez’ ! em outra postagem farei uma exposição de motivos pelos quais considero a oposição com chances reais de vencer as próximas eleições para o Governo do Estado.


Governo do Estado Proíbe Jackson Lago de Visitar Prédio Público

O ex-governador Jackson Lago (PDT) foi proibido pelo governo do Estado de visitar as instalações do hospital de Presidente Dutra, durante a visita que fará neste sábado (22) ao município. O diretor do hospital foi quem comunicou a proibição.

Depois de várias tentativas frustradas junto a Secretaria de Saúde no sentido de conseguir autorização para permitir a entrada do pedetista no hospital. Não adiantou, Jackson terá que se contentar em passar pela cidade sem ver de perto sua principal obra na região. Ele passará apenas pela porta da obra que ele próprio construiu.

( na foto acima o então secretário de saúde Edmundo Moreira (de gravata) visita juntamente com outros técnicos, a obra do Socorrão de Presidente Dutra. Obs: Naquele tempo ele ainda podia entrar lá.)

Construído durante o governo Jackson Lago, o hospital regional de Presidente Dutra foi entregue com 5.317 metros quadrados de área construída, 100 leitos de enfermaria e 12 UTI’s, e foi feito com recursos do próprio Estado.

Depois de ter ocupado o Palácio dos Leões, Roseana Sarney deixou o ‘Socorrão’ de Presidente Dutra abandonado. De lá pra cá, o hospital funciona de forma precária, sem médicos e enfermeiros suficientes, falta de medicamentos, estrutura física sem manutenção além de leitos e salas em estado deploráveis.

Comentário Deste Blog

A Música de Zé Geraldo

Lembram o trecho daquela música “Cidadão”, do cantor Zé Geraldo:

“Tá vendo aquele edifíco moço,
Ajudei a levantar…

…E pra aumentar o meu tédio
Eu nem posso olhar pro prédio
Que eu ajudei a fazer.”

Pois é, se o rapaz da música, que só ajudou fazer o prédio, ficou triste por que não pôde entrar, imagine o Jackson Lago que idealizou, executou, contratou, pagou e inaugurou ???


Saúde Pública – Maraboi, seja prevenido…

unimed
Anos atrás se empunhava uma máquina de tirar retrato, batia-se a foto e olhava-se pro contador dela para ver quantas poses ainda restavam. Dias depois era só levar o filme para revelar, e com muita sorte, você poderia ter todas as fotos prontas em suas mãos. Hoje com a máquina digital você leva somente o cartão de memória e ainda escolhe previamente o que vai ou não ser impresso.

A outra vantagem dessa tecnologia digital é ter sempre em mãos um mecanismo pronto para visualizar e imprimir imagens.

De posse desse novo aparelho consegui captar neste fim de semana uma ironia publicitária entre a UNIMED e a Secretaria de Saúde do Estado do Maranhão.

Em frente à sede da Secretaria de Saúde, na Av. Carlos Cunha, Calhau, está postada em arco uma propaganda da Unimed alertando o maranhense para que ele seja prevenido e tenha UNIMED (ver foto). Interessante o local onde foi colocada a placa, e como a mensagem da mesma é condizente com o momento atual da saúde pública do Maranhão.

Enquanto festivais de juçara são um sucesso e um tal de Maraboi, em substituição ao finado Marafolia, está sendo organizado pelo Secretário de Saúde, como disse o Décio Sá em seu Blog no Imirante “… o secretário Ricardo Murad já tem novo projeto em mente. Está organizando para novembro o Maraboi, espécie de Carnaval fora de época com grupos de bumba-meu-boi na Litorânea. A estrutura será parecida a usada no Marafolia. Pelo jeito, Ricardo não tem muito trabalho na Secretaria de Saúde.”

Enquanto isso, no mesmo compasso do bumba-boi e no azedume da jussara, os transplantados que precisam de remédios especiais estão aguardando o cumprimento de uma liminar contra a Secretaria de Saúde do Estado, para voltarem a receber gratuitamente os medicamentos imunossupressores, necessários para auxiliar na aceitação dos órgãos transplantados.

LIMINAR

O promotor de Justiça Herberth Costa Figueiredo requer, em uma Ação Civil Pública, que a Justiça determine imediato fornecimento dos medicamentos imunossupressores. O prazo para a regularização dos serviços é de 48 horas.

A cada dia de atraso no cumprimento da decisão, o Ministério Público demanda que a Justiça determine ao Estado o pagamento de multa diária de R$ 10 mil por paciente desassitido. Os valores deverão ser revertidos ao Fundo Nacional de Saúde. (Com informações do MPMA e Imparcial Online).

A quem interessar, siga o conselho da Unimed e “Seja prevenido…”


Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço é de responsabilidade civil e penal exclusiva do blogueiro ou de quem utilizou sua senha pessoal para postar as informações. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial da empresa.